sábado, 16 de junho de 2018

"Seu Espião" (Warner, 1984), Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens


O baixista Carlos Leoni e o baterista Beni Borja já tocavam juntos desde 1976, no Rio de Janeiro, quando ainda adolescentes, montaram a banda de rock Chrisma, contando com Pedro Farah na guitarra. Anos mais tarde, em 1981, o núcleo do Chrisma passou uma reformulação. Leoni, então um estudante de Letras da PUC/Rio, conheceu o saxofonista George Israel, estudante da mesma universidade, porém do curso de Engenharia. Juntamente com o baterista Carlos Beni, mais o guitarrista Pedro Farah, começaram a ensaiar um novo repertório dentro de uma nova orientação musical, algo mais voltado para a new wave, tendência que estava em ascensão mundial naquela época. Uma garota, estudante de Design Industrial, também da PUC/Rio, passou a frequentar os ensaios da banda. Num dado momento, foi convidada cantar, apesar da sua timidez.

Em 1982, a banda gravou uma fita demo com duas músicas, "Distração" e "Vida de Cão É Chata Pra Cachorro". Na época, a rádio Fluminense FM, do Rio de Janeiro, estava pedindo fitas demo de bandas e cantores em início de carreira. As melhores iriam entrar na programação da emissora. O baterista Beni foi o encarregado de levar a fita à rádio. Porém, a banda até aquele momento não tinha nome, e para fazer a inscrição e entrar a fita, era preciso que tivesse nome. O nome foi escolhido ali, na base da pressão, na entrega da fita: o baterista tirou do bolso uma lista de nome que os membros havia feito e na base da sorte, Carlos Beni escolheu o primeiro nome que viu: Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens. A música "Distração" acabou sento selecionada para ser veiculada na programação da Fluminense FM.

Pedro Farah, Carlos Beni, Paula Toller e Leoni numa das primeiras formações do Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens.

Com música rolando da Fluminense FM, a banda começou a ganhar visibilidade, e a receber convites para shows. Em novembro de 1982, a banda passou a se apresentar no Circo Voador, Rio de Janeiro, dentro do Projeto Rock Voador, e a se destacar no circuito alternativo carioca. O Circo Voador fervilhava de novos nomes do rock nacional, todos motivados pela ascensão da Blitz e de Lulu Santos que estavam estourados naquele no rádio e na TV naquele, e vendendo muitos discos.  

Numa parceria da Fluminense FM com o Circo Voador e a gravadora Elektra, foi lançado ainda em 1982 a coletânea Rock Voador, que reuniu novos cantores e bandas da cena roqueira carioca da época como Sangue da Cidade, Celso Blues Boy, Papel de Mil, Malu Viana e Maurício Mello & Companhia Mágica e o Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens. Cada uma das atrações contribuiu com duas músicas. O Kid Abelha compareceu com duas músicas, "Distração" e "Vida de Cão É Chata Pra Cachorro", as mesmas gravadas para a fita demo, porém regravadas com uma qualidade melhor.

Pedro Farah deixa a banda e em seu lugar, houve uma rotatividade de guitarristas até a chegada de Bruno Fortunato que assume o posto em definitivo. Em 1983, a banda assina contrato com a Warner e lança o seu primeiro single "Pintura Íntima", o qual lado B trazia "Por Que Não Eu?", sob a produção de Lulu Santos, que na época era uma estrela do rock brasileiro em ascensão. Os membros viam no trabalho de Lulu um padrão de música pop feito no Brasil a ser seguido. A faixa "Pintura Íntima" fez um grande sucesso - assim como "Por Que Não Eu?"- e projetou nacionalmente a banda de nome exótico formada por uma garota carismática e mais quatro marmanjos.  Kid Abelha. O single vendeu 150 mil cópias, dando à banda carioca o seu primeiro disco de ouro. Nesse meio tempo, a banda sofre mais uma baixa: Carlos Beni deixa a banda e vai tentar a carreira como produtor.

Kid Abelha como quinteto quando contava com Carlos Beni (primeiro à esquerda) na sua formação, em 1983.

Com o bom êxito comercial do primeiro single, o Kid Abelha entrou em estúdio no começo de 1984 para gravar o primeiro álbum. Para a produção do álbum, a banda escolheu Liminha, o mesmo produtor dos álbuns de Lulu Santos. Há quem diga que houve algum ressentimento por parte de Lulu por não ter sido escolhido para produzir o álbum, já que havia produzido o primeiro single da banda e que havia sido um grande sucesso comercial. Os membros do Kid Abelha eram gratos a Lulu, mas entendiam que como estavam em busca da sonoridade Lulu, especialmente do álbum O Ritmo do Momento (1983), acreditavam que a lógica seria trabalhar como produtor daquele álbum que foi Liminha, que já tinha no currículo vários discos de sucessos produzidos por ele, como por exemplo, o multi-platinado Voo de Coração (1983), de Ritchie.

Em abril de 1984, saía mais um single do Kid Abelha, "Como Eu Quero". A música agradou em cheio o público, o que só atiçou a expectativa para o primeiro álbum que estava em fase de finalização.

Finalmente, em junho de 1984, chegava às lojas o primeiro álbum do Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens, Seu Espião, cuja capa traz a banda como uma quarteto. Os integrantes decidiram não ter uma baterista fixo após saída de Beni Borja, apenas com bateristas contratados.

Capa do single de "Como Eu Quero".
Em seu primeiro álbum, o Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens conseguiram o que almejavam quando escolheram Liminha como produtor: o trabalho essencialmente pop, acessível, muito bem "polido", ainda que se tratasse de uma banda de rock. Seu Espião guarda em bom parte de suas dez faixas toda uma aura adolescente, tratando de temas comuns nessa fase da vida como rebeldia, insegurança afetiva, amor não correspondido e vida escolar. A linguagem musical transita entre o refinamento pop de um Roxy Music e a urgência rock de um Pretenders e Blondie. Já a partir desse álbum, ficou cravada como marca registrada da banda o saxofone de Gerge Israel, que se tornou o diferencial do Kid Abelha. Depois de tantos anos, havia aparecido no rock brasileiro uma banda que trazia o saxofone com destaque. A última vez em que um saxofonista se tonava um membro tão representativo foi durante a Jovem Guarda nos anos 1960 através de Renato & Seus Blue Caps e de Os Incriveis, bandas que tinham cada uma um saxofonista como integrante, respectivamente Cid Chaves (também vocal) e Manito.

O álbum de estreia do Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens abre com o som de um coração batendo intensamente, seguido de um grito feminino desesperado e de um ruído de vaso quebrando dando início à faixa-título. "Seu Espião" é um rock tipicamente new wave que trata de ciúme e posse num relacionamento a dois. Herbert Vianna e o ex-companheiro de início de carreira da banda, Pedro Farah, fazem o backing vocal masculino no refrão da música. "Nada Tanto Assim" tem o solo elegante  de George Israel na introdução e no decorrer da música que fala sobre a urgência de viver a vida, algo tão peculiar da juventude. O rock melódico e dançante "Alice (Não Escreva Aquela Carta de Amor)" é um grito desesperado de um sujeito que pede à namorada para que ela não escreva a carta que ele supõe ser o término da relação. Paula Toller canta como uma garota colegial em "Hoje Eu Não Vou", um rock adolescente e urgente sobre o pavor de ir à escola.

"Fixação" é a faixa que fecha o lado do álbum, e faz referência à obsessão afetiva. É uma música essencialmente pop, agradável e de um elegância incrível. Possui uma bateria eletrônica pré-programada dando o ritmo da música, enquanto Bruno Fortunato faz ótimos riffs de guitarra e George Israel dá um toque de sofisticação à música com o seu saxofone. Além de tocar o baixo, Leoni canta no refrão fazendo as "repostas" das "chamadas" cantadas por Paula Toller.

Formação clássica do Kid Abelha, da esquerda para a direita: Leoni, Bruno Fortunato, Paula Toller e George Israel.

A linda balada "Como Eu Quero" inicia o lado B e é a principal faixa do álbum. Quase ficou de fora de Seu Espião, e só foi incluída para completar o álbum, pois faltavam umas três faixas. Dizem até que a letra da canção teria até sido jogada na lata de lixo. Liminha pediu uma canção para ajudar a completar o disco, a letra foi recuperada do lixo, foi tocada ao violão e para o produtor que gostou logo na primeira audição. Sugeriu apenas que melhorassem o refrão. No dia seguinte foi gravada. Apesar do ritmo calmo e delicado, "Como Eu Quero" não é uma canção tão doce como se imagina. A letra é sobre uma garota que impõe de uma maneira autoritária que o seu namorado seja do jeito que ela quer ou estaria tudo acabado entre os dois. Num depoimento ao Canal Bis, Leoni disse que o fato foi verídico, e o ex-baterista do Kid Abelha, Carlos Beni afirmou que a canção teria sido composta por Leoni e Paula Toller num gesto solidário a ele, pois sua namorada teria sido o pivô da sua saída do Kid Abelha: ela teria feito pressão para que deixasse a banda e a carreira como músico.

"Ele Quer Me Conquistar" é um rock ingênuo e romântico, que faz lembrar a pureza juvenil de alguns rocks da Jovem Guarda como as canções "açucaradas" de Leno & Lílian. "Por Que Não Eu?", antes lançada em single sob a produção de Lulu Santos, foi incluída no álbum. Conta com um riff de saxofone executado por George Israel na introdução e o próprio Lulu nos backing vocals. Por ser a mesma versão do single é uma das poucas faixas do álbum com Beni Borja na bateria. Em "Homem Com Uma Missão", outro rock com levada new wave, uma garota tenta chamar a atenção de um homem misterioso e focado em outros assuntos.

"Pintura Íntima", outra faixa lançada anteriormente como single, foi incluída no álbum. Assim como "Por Que Não Eu?", Carlos Beni toca a sua bateria em "Pintura Íntima" já que a gravação foi feita quando ainda integrava a banda. O sexo é tema central da música e mostra George Israel fazendo um solo marcante.

Na época em que foi lançado, Seu Espião foi mal recebido pela crítica, principalmente pela crítica musical de São Paulo. O álbum foi tachado de "descartável" por trazer canções ingênuas, banais e medíocres. A crítica paulista foi a mais dura, afirmando que o álbum tinha pouca relevância artística. Enquanto a crítica musical "metralhou" sem piedade Seu Espião, o público adorou o álbum de estreia. Das dez faixas, sete viraram megahits levando o álbum a vender mais de 150 mil cópias. "Seu Espião", "Nada Tanto Assim", "Alice (Não Me Escreva Aquela Carta de Amor)", "Fixação", "Por Que Não Eu?" caíram na boca do povo. "Pintura Íntima" que já havia feito sucesso um ano antes como single, continuou com a popularidade em alta, enquanto que "Como Eu Quero" foi um sucesso retumbante, se tornou o maior da carreira da banda carioca.

Impulsionado pelo sucesso do seu álbum de estreia, o Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens foi convidado para se apresentar na primeira edição do Rock in Rio, em janeiro de 1985, no Rio de Janeiro. Em maio de 1985, a banda lançou o segundo álbum, Educação Sentimental, que emplacou novos hits, alcançou a marca de 200 mil cópias vendidas e manteve a popularidade do Kid Abelha em alta.

Faixas

Lado A

"Seu Espião" (Leoni - Paula Toller - Herbert Vianna            )
"Nada Tanto Assim"(Leoni - Bruno Fortunato)        
"Alice (Não Me Escreva Aquela Carta De Amor)" (Leoni - Paula Toller - Bruno         
    Fortunato)  
"Hoje Eu Não Vou" (Leoni - Beni Borja - Toller)      
"Fixação" (Leoni - Beni Borja - Toller)

Lado B

"Como Eu Quero" (Leoni - Paula Toller)
"Ele Quer Me Conquistar" (Leoni)   
"Porque Não Eu?" (Leoni - Paula Toller - Herbert Vianna)
"Homem Com Uma Missão" (Leoni - Beni Borja)   
"Pintura Íntima" (Leoni - Paula Toller)

Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens:  Paula Toller (voz e vocais), Bruno Fortunato (guitarras), George Israel (saxofone e vocais) e Leoni (baixo e vocais).


Ouça na íntegra o álbum Seu Espião.



Vídeo clipe de "Nada Tanto Assim".



Vídeo clipe de "Por Que Não Eu?".



Vídeo clipe de "Como Eu Quero".



"Fixação", ao vivo, Festival Rock in Rio, 1985



 
"Pintura Íntima", ao vivo, 
Festival Rock in Rio, 1985



sábado, 9 de junho de 2018

"Some Girls" (Rolling Stones Records, 1978), The Rolling Stones


Naquele começo de 1977, os Rolling Stones, apesar de todo do prestígio que haviam conquistado como uma das bandas icônicas do rock, não viviam uma grande fase artística. Depois do fantástico álbum duplo Exile On Main St., de 1972, a banda engatou uma sequência de três álbuns medianos, Goats Head Soup (1973), It's Only Rock'n'Roll (1974) e Black And Blue (1975). Assim como outras estrelas do rock do porte de Led Zeppelin, Elton John, Pink Floyd, Peter Frampton, Yes ou Paul McCartney, os Rolling Stones se tornaram alvos do desprezo implacável do movimento punk que estava surgindo e pregava uma mudança radical no cenário do rock, algo novo, e via naquelas estrelas figuras decadentes e ultrapassadas.

Como se isso não bastasse, um fato quase pôs fim aos Rolling Stones. No final de fevereiro de 1977, os Stones estavam se instalando temporariamente em Toronto, no Canadá, para gravar dois shows da banda naquela cidade. O material seria usado para complementar Love You Live, álbum duplo gravado ao vivo a ser lançado naquele ano e que registraria a turnê que os Stones estavam fazendo desde meados de 1975, e que já havia passado pelos Estados Unidos e Europa. Logo na chegada à cidade canadense, a mulher do guitarrista Keith Richards, Anitta Pallenberg, foi detida no aeroporto por por porte de haxixe e heroína, mas logo foi liberada após fiança.


Detalhe da capa do álbum duplo Love You Live. 

No entanto, três dias depois, a polícia fez uma batida no quarto de hotel onde o casal estava hospedado, e foram encontradas 5 gramas de cocaína e 22 gramas de heroína. Richards foi preso, acusado de tráfico, o que nas leis canadenses, implicaria em sete anos de prisão ou mesmo em prisão perpétua, mas pagou uma fiança, e respondeu o processo em liberdade. As gravações dos dois shows foram feitas, a banda e sua equipe técnica foram embora, mas devido aos problemas judiciais, Richards e Anitta tiveram que permanecer no Canadá até abril de 1977.

Keith travou uma batalha judicial que se arrastou por pouco mais de um ano que se encerrou outubro de 1978, quando considerado culpado apenas pela posse de heroína, condenado a 1 ano de prisão, porém cumprida em liberdade, tendo que comparecer no tribunal a cada seis meses, bem como fazer um show beneficente para um instituto de cegos no Canadá e prosseguir o tratamento contra o vício em heroína, que na verdade ele já havia iniciado quando fora acusado de posse droga por sugestão dos seus advogados, numa tentativa atenuar qualquer que fosse a decisão do juiz.

Keith Richards saindo do tribunal, em 1977: batalha judicial no Canadá que quase custou o fim dos Rolling Stones.

Quem segurou essa barra pesada dentro dos Stones enquanto Keith e sua mulher estavam enrolados com a Justiça foi Mick Jagger. A banda começou o processo de gravação de Some Girls em outubro de 1977, nos estúdios Pathé Marconi, em Paris,na França. A produçaõ do novo álbum ficou a cargo de Jagger, mas que na ficha técnica do álbum aparece creditado a The Glimmer Twins, que nada mais era do que o pseudônimo que Mick Jagger e Keith Richards chegaram a usar, fosse nas composições canções ou na produção de alguns discos dos Rolling Stones. A liderança de Jagger se fez mais importante do que nunca para manter a banda unida, e o foco na produção do novo álbum mostrou-se necessária para que a união desse certo.

As gravações de Some Girls ocorreram entre outubro e dezembro de 1977, com uma pausa no final de ano, e retomadas em janeiro de 1978 prosseguindo até março, quando os trabalhos foram finalizados. Durante as sessões de gravação, os Stones contaram com a participação de colaboradores especiais como Ian McLagan tecladista, ex-companheiro de Ronnie Wood nos Faces), Sugar Blue (gaita), Mel Collins (saxofone) e Simon Kirke (percussão). Os Stones gravaram cerca de 50 novas músicas, porém apenas dez entrariam no novo álbum. As sobras acabaram sendo aproveitadas mais tarde em álbuns posteriores como Emotional Rescue (1980) e Tatto You (1981).

Em maio de 1978, os Rolling Stones lançavam o primeiro single do novo álbum, "Miss You". O single surpreeendeu o público e a crítica com a incursão dos Stones à sonoridade dançante da disco music que sacudia o mundo naquele momento.


Propaganda do álbum Some Girls, em 1978, ainda
com a capa original antes de ser cancelada. 
Finalmente, Some Girls chegou às lojas em junho de 1978, mas chegou causando polêmica. A arte da capa, criada pelo designer gráfico Peter Corriston e pelo ilustrador Hubert Kretzschmar, trazia a imagens de atrizes famosas em anúncios de lingerie. As atrizes Lucille Ball, Farrah Fawcett, Liza Minelli (representando sua mãe, a também atriz Judy Garland), Raquel Welch e os responsáveis pelos direitos de imagem de Marilyn Monroe, ameaçaram entrar com processo contra os Rolling Stones. A gravadora teve que fazer um nova edição do álbum sem as imagens das atrizes, substituídas por borrões trazendo o aviso PERDÃO PELA NOSSA APARÊNCIA - CAPA EM RECONSTRUÇÃO.

Apesar da polêmica, a recepção do álbum pela imprensa foi muito positiva. O álbum foi muito bem saudado pela crítica, que rendeu elogios aos esforços da banda em superar os momentos difíceis por causa da prisão Keith Richards, e pela coragem de tentar se reinventar no novo álbum ao se aproximar da disco music e do punk, tendências musicais que estavam nos holofotes do cenário pop mundial da época.

Lançada como primeiro single de Some Girls, "Miss You" é a faixa que abre álbum, que começa com um baixo e uma bateria pulsantes. A linha de baixo executada Bill Wyman segue cavalgando por toda a música. Existem informações que essa linha de baixo teria sido criada pelo tecladista Billy Preston numa fita demo de "Miss You" onde o músico toca um baixo acompanhado do vocal de Mick Jagger. O solo charmoso de saxofone de Mell Collins e a gaita blueseira de Sugar Blue dão um toque especial a uma faixa em que os Stone saíram-se bem pegando carona na onda disco.  

"When The Whip Comes Down" segue o rock tradicional bem ao estilo "stoneano", com Jagger nos vocais principais, e Richards e Wood nos vocais de fundo. A música tem num trecho de sua letra, uma conotação gay: "Yeah, mama and papa told me /
I was crazy to stay / I was gay in New York / A fag in L.A./ So I saved my money / And I took a plane / Wherever I go they treat me the same." ("Sim, mamãe e papai me disseram / Eu estava louco de ficar / Eu era gay em Nova York / Um cigarro em L.A./ Então eu salvei meu dinheiro / E eu peguei um avião / Onde quer que eu vá, eles me tratam da mesma forma"). Na regravação de "Just My Imagination (Running Away With Me)", um clássico da soul music originalmente gravado pelos Temptations, os Stones imprimem o seu estilo despojado.

O solo de gaita de Sugar Blues dá início a Some Girls", faixa que dá nome ao disco. A faixa causou na época a ira das femininas da época que acusaram os Stones de machistas e de depreciarem as mulheres, principalmente as negras: "Black girls just wanna get fucked all night / I just don't have that much jam" ("Garotas negras só querem ser fodidas toda noite / Eu não tenho muita geléia".

Encerrando o lado A, "Lies", a faixa mais punk do álbum, o que mostra que os Rolling Stones não estavam alheios ao que acontecia ao redor. Enquanto a banda emprega um ritmo veloz, Mick Jagger canta aos berros versos como "Lies, dripping off your mouth like dirt / Lies, lies in every step you walk" ("Mentiras, pingando da sua boca como sujeira / Mentiras, encontra-se em cada passo que você dá").

Anúncios de perucas que serviram de referência para a concepção da capa de Some Girls.

Se o lado A encerrou em ritmo acelerado, o lado B de Some Girls começa no ritmo mais calmo e lento de "Far Away Eyes", uma country music onde Jagger, através de um canto meio falado, se refere sobre a solidão e descontentamento com a vida, mas ressaltando que apesar dos pesares, não se deve perder a esperança. Os Stones partem à toda velocidade com "Respectable", mais uma faixa do álbum com influência punk, e desta vez falando de uma mulher que alcançou a ascensão social, mas que esqueceu as suas origens. "Before They Make Run" traz Keith Richards no vocal principal, e aqui ele faz referências, ainda que sutis, sobre a sua prisão em Toronto por porte de drogas, cujos desdobramentos puseram em risco o futuro dos Rolling Stones.

"Beast Of Burden" é um rock balada sobre o sujeito que não que ser "burro de carga" da namorada, que não suporta ser menosprezado, mas que quer apenas fazer amor com ela. Richards disse numa entrevista que a canção foi escrita por ele para Jagger, por ter carregado o peso da banda nas costas enquanto ele estava prestando contas com a Justiça. Em "Shattered", última faixa de Some Girls, os Rolling Stones traçam uma imagem da vida decadente das ruas da Nova York dos anos 1970, onde a promiscuidade, as drogas e a violência predominavam. 

Show no Texas, da turnê Some Girls, em 1978, foi
lançado em CD, DVD e Blu-ray em 2011
No dia 10 de junho de 1978, um dia após o lançamento de Some Girls, os Rolling Stones iniciaram a turnê norte-americana para promover o álbum, que durou até o final de julho. O show dos Stones no Will Rogers Auditorium, em Fort Worth, no Texas, em 18 de julho de 1978, foi gravado e filmado, e esse material foi lançado em CD, DVD e Blue-ray em 2011 como Some Girls : Live In Texas '78.

Comercialmente, o desempenho de Some Girls superou todas as expectativas. O álbum agradou o público em cheio. Puxado pelo hit "Miss You", Some Girls ficou em 1°  lugar na parada de álbuns dos Estados Unidos, e em 2º lugar na do Reino Unido. Some Girls atingiu a marca de 6 milhões de cópias vendidas só nos Estados Unidos, e cerca de 11 milhões no resto do mundo, tornando-se o álbum mais vendido da carreira do grupo. Em setembro de 1978, foram lançados os singles de "Beast Of Burden" (8º lugar na Billboard Hot 100, nos Estados Unidos) e de "Respectable"( 23º lugar na parad de singles do Reino Unidos), e em novembro, saiu o de "Shattered" (31º lugar da Billboard Hot 100, nos Estados Unidos).

Some Girls foi o álbum que virou o jogo a favor dos Stones naquele final de anos 1970. Com ele, a banda superou a crise e retornou ao topo. O sucesso de crítica e de público fez Some Girls ser considerado o último grande álbum dos Rolling Stones, ainda que tenha lançado posteriormente bons álbuns como Tatto You (1981). Mas o caso de Some Girls foi emblemático. Mais um exemplo de reinvenção dos Stones que tiveram que enfrentar os problemas judiciais de Keith Richards, a fúria dos punks e o descrédito de parte da crítica.

Faixas

Lado A
  1. "Miss You"
  2. "When The Whip Comes Down"
  3. "Just My Imagination (Running Away With Me)" ( Norman Whitfield - Barrett Strong)
  4. "Some Girls"
  5. "Lies"

Lado B
  1. "Far Away Eyes"
  2. "Respectable"
  3. "Before They Make Me Run"
  4. "Beast of Burden"
  5. "Shattered"


Todas as faixas são de autoria de Mick Jagger e Keith Richards, exceto a indicada.
Rolling Stones: Mick Jagger (vocais, guitarra, piano e percussão), Keith Richards (guitarra solo, vocais de fundo, violão e piano), Ronnie Wood ( guitarra elétrica, vocais de fundo, pedal steel violão e baixo), Bill Wyman (baixo e sintetizador) e Charlie Watts (bateria).


"Miss You" - vídeo-clipe.



"When The Whip Comes Down", vídeo gravado
ao vivo, Texas, 1978.



"Just My Imagination (Running Away With Me)", 
vídeo gravado ao vivo, Texas, 1978.



"Some Girls"



"Lies"



"Far Aways Eyes" - vídeo-clipe.



"Respectable" - vídeo clipe.



"Before They Make Me Run"



"Beast Of Burden"



"Shattered"





sábado, 2 de junho de 2018

"The Cars" (Elektra, 1978), The Cars.


A banda norte-americana The Cars foi um dos mais importantes representantes da new wave, seguimento que ao lado do punk, foi responsável pelo processo de renovação do rock ocorrido na segunda metade dos anos 1970. Se a princípio, a new wave era um gênero oriundo do underground, logo conseguiu alcançar o mainstream da indústria da música, e isso se deveu em parte à banda The Cars, que com seu rock vigoroso, dançante, com um pé no punk e outro no pop, vendeu milhões de discos, e moldou já no final dos anos 1970, o que seria o rock de FM da década seguinte. 

Formada em 1976, na cidade de Boston, Estados Unidos, por Ric Ocasek (vocais, guitarra), Benjamin Orr (baixo), Elliot Easton (guitara solo), Greg Hawkes (teclados) e David Robinson (bateria), a banda The Cars começou a ganhar popularidade na sua cidade natal através de shows em clubes. A banda gravou uma fita demo com nove músicas, dentre as quais "Just What I Need", que teve boa execução nas rádios de Boston. Isso acabou chamando a atenção do selo Epic Records, subsidiária da gravadora CBS, e em novembro de 1977, o quinteto foi contratado.

Em fevereiro de 1978, a banda foi enviada para Londres, onde gravou o seu primeiro álbum sob a produção de Roy Thomas Baker, profissional renomado que produziu discos de bandas importante como Free e Queen. Entre gravação e mixagem, o álbum foi produzido em 21 dias. Três meses depois, sai o primeiro single do álbum, "Just What I Need", a mesma música que tocou bastante nas rádios de Boston em versão demo. O single de "Just What I Need" ficou em 23º lugar da parada norte-americana e 17º no Reino Unido. Na França, ficou numa posição melhor, 4º lugar.

The Cars, da esquerda para a direita: Benjamin Orr, Greg Hawkes, Ric Ocasek, David Robinson e Elliot Easton.

Finalmente, em junho, chegou às lojas o primeiro e homônimo álbum dos Cars, trazendo na capa, a modelo russa Natalya Medvedeva, graciosa e sorridente ao volante de um carro. O álbum apresenta uma banda com um som polido, equilibrado, que concilia a agressividade do punk com o apelo pop e acessível da new wave.

O álbum começa com "Good Times Roll" que traz na sua introdução um riff de guitarra e a voz "trêmula" do vocalista Ric Ocasek. Os vocais de fundo imponentes lembram muito o Queen, e aí certamente houve influência do produtor Roy Thomas Baker, que dentre os discos que produziu do Queen, está o clássico A Night At The Opera (1975). "My Best Friend's Girl" também começa com riff de guitarra, porém acompanhado de palmas. A música é um rock alegre e divertido, com vocais à base de chamada e resposta que fala de um sujeito apaixonado pela namorada do melhor amigo.

"Just What I Needed" é única faixa do lado A da versão em LP do álbum que o baixista Benjamin Orr canta. A música possui uma "parede" de guitarras, com o guitarrista Elliot Easton fazendo solos bem distorcidos, revezando com os solos esquisitos de sintetizador de Greg Hawkes.  Ocasek retorna ao vocal principal em "I'm In Touch With Your World", talvez a faixa mais chatinha do álbum, com seu ritmo lento. Fechando o lado B, "Don't Cha Stop", um rock tipicamente new wave: refrão "chiclete", ritmo veloz e dançante, e um tecladinho alucinado ao fundo. Mais uma vez, Easton destrói nos solos de guitarra.

O vocalista do The Cars, Ric ocasek, e o produtor Roy Thomas Baker.

"You're All I've Got Tonight", abre o lado B do álbum com uma bateria pesada e cheia de efeitos. Guitarras, baixo e bateria criam uma massa sonora vigorosa, enquanto o Hawkes faz solos estridentes nos sintetizadores. Melhor faixa do álbum, "Bye, Bye Love", faixa cantada brilhantemente por Orr, mostra a capacidade dos Cars em criar rocks acentuadamente comerciais e agradáveis. A faixa tem riffs de teclados, ora estridentes, ora delicados, enquanto que os solos de guitarra de Elliot Easton seguem matadores mais uma vez neste disco.
 
Com Orr no vocal principal, "Moving In The Stereo" é a faixa mais experimental do álbum, mas não necessariamente "burocrática". Possui uma sonoridade que em alguns momentos faz lembrar Roxy Music, e a maneira de cantar de Benjamin Orr nessa música, remete aos vocais de Brian Ferry, vocalista da banda inglesa, o que só reforça essa associação. "All Mixed Up", também cantada por Orr, encerra o álbum. Começa lenta como uma balada, e depois ganha ritmo. Destaque para o tecladista Greg Hawkes, que nesta faixa, mostra os seus dotes como saxofonista.

The Cars, o álbum, teve um desempenho comercial brilhante, assim como foi bem elogiado pela crítica. Foi o primeiro álbum da new wave a alcançar as grandes massas. O rock bem acabado, despretensioso, divertido e com forte teor pop, agradou em cheio não só o grande público, que comprou cerca de 6 milhões de cópias vendidas do álbum, mas também os programadores de rádio que enxergaram na banda um tipo de som "fácil" e "palátavel".

The Cars na capa  da Revista Rolling Stone, janeiro de
1979: banda leita eleita artista revelação.
O álbum ficou em 18º lugar na parada da Billboad 200, nos Estados Unidos, em março de 1979, e permaneceu na parada de álbuns por 139 semanas. Foi 4º lugar no ranking "Top Álbuns do Ano" da Billboard, em 1979. Mais dois singles do álbum foram lançados, o de "My Best Friend's Girl" (35º lugar nos EUA e 3º no Reino Unido, em 1978) e de "Good Times Roll" (41º nos EUA), que se tornaram hits. No entanto, "Just What I Need" e "By, Bye Love" foram os grandes sucesso do álbum.

A popularidade dos Cars era tão grande que só encontraria rivalidade dentro da new wave naquela época com o Blondie, que lançaria meses depois de The Cars, o antológico Parallel Lines. O prestígio conquistado pelos Cars levou a banda a ser escolhida, como "Banda Revelação/1978" pela revista Rolling Stone, em 1979, e a uma indicação ao Grammy na categoria "Melhor Artista Revelação", naquele mesmo ano. Ainda em 1979, os Cars repetiriam a parceria com o produtor Roy Thomas Baker, lançariam o segundo álbum, Candy-O, que nos rastro do sucesso do álbum de estreia, tiveram grande êxito comercial a artístico. Com a popularidade no topo, os Cars sozinhos, conseguiram tocar para 500 mil pessoas no Central Park, em Nova York, em 1979. A pista do sucesso estava livre para The Cars trilharem carregados de discos de platinas a cada lançamento.

Faixas

Lado A
  1. "Good Times Roll"
  2. "My Best Friend's Girl"
  3. "Just What I Needed"
  4. "I'm In Touch With Your World"
  5. "Don't Cha Stop" 

Lado B
  1. "You're All I've Got Tonight"
  2. "Bye Bye Love"
  3. "Moving In Stereo" (Greg Hawkes - Ocasek)
  4. "All Mixed Up"


Todas as letras escritas por Ric Ocasek, exceto onde indicado. 

The Cars: Ric Ocasek (vocal e guitarra base), Benjamin Orr (vocal e baixo), Elliot Easton (guitarra e vocais de fundo), Greg Hawkes (teclados, saxofone e percussão) e David Robinson (bateria percussão e vocais de fundo).


"Good Times Roll"


"My Best Friends's Girl"



"Just What I Needed"



"I'm Touch With Your World"



"Don't Cha Stop"



"You're All I've Got Tonight"



"Bye Bye Love"



"Moving In Stereo"



"All Mixed Up"